Sudamerica Vida filia-se à Associação Nacional das Microsseguradoras

21/02/2019 / FONTE: Revista Apólice

Luciano-Fracaro

Luciano Fracaro, presidente da empresa, e David Novloski, diretor comercial, assinaram a ficha de filiação na sede da ANM, no Rio de Janeiro

A Sudamerica Vida é a nova integrante da Associação Nacional das Microsseguradoras (ANM), entidade criada em 2017 com o objetivo de “fomentar e solidificar a cultura do microsseguro no Brasil”.
O presidente da empresa, Luciano Fracaro, e o diretor comercial, David Novloski, assinaram a ficha de filiação na sede da Associação, no Rio de Janeiro. Em novembro do ano passado, a Sudamerica foi habilitada pela Susep para atuar no nicho de microsseguros de danos e pessoas em toda região Sul do País. A companhia, com sede em Curitiba/PR, opera no território nacional com seguros de vida individual, em grupo e empresarial, sob a denominação Sudamerica Vida Clube de Serviços.

“A ANM está trabalhando para consolidar sua representatividade diante da importância do microsseguro no Brasil, mas continua contando com o apoio de todas as instituições que queiram contribuir com este projeto de fundamental importância popular. Que possamos juntos direcionar uma atenção especial ao seguro de pessoas e levar cada vez mais o microsseguro aos cidadãos. Sejam bem-vindos Luciano e David à nossa luta para popularizar os microsseguros”, saudou o presidente da ANM, Edson Calheiros.

Fracaro falou sobre o papel social microsseguro. “Também conhecido como seguros inclusivos, os microsseguros possuem uma peculiaridade que os diferenciam dos demais planos, disponíveis no mercado. O valor da apólice é bem mais acessível. É um seguro que atenua um grande problema que aflige a maioria da população carente, a proteção dos familiares em situações vulneráveis”.

O executivo pontuou que o desafio da ANM é “justamente disseminar a cultura da proteção, fazendo com que os microsseguros cheguem até as classes mais necessitadas”.

Para o diretor regional da Sudamerica, João Paulo Moreira de Mello, a falta de conscientização, conhecimento e a dificuldade de acesso da população aos seguros ainda são empecilhos para que o segmento deslanche no mercado. “A penetração dos seguros de pessoas no PIB é muito baixa se comparada a países desenvolvidos, o que demanda ações dos agentes do mercado para mudar esse cenário”, justifica.

O diretor comercial da companhia, David Novloski, se diz otimista e acredita que o quadro pode mudar este ano. “Os microsseguros são fundamentais para o crescimento da economia. As seguradoras que operam nesse segmento, junto à ANM, estão reivindicando a desoneração das empresas como forma de tornar os microsseguros mais acessíveis à sociedade”, informa.

Eles lembram que o pleito foi reconhecido pela CNseg, que incluiu o pedido de concessão de isenção de IOF e outros benefícios tributários no documento entregue aos presidenciáveis, contendo as 22 propostas do mercado para o desenvolvimento do País.

Notícias relacionadas


1. Você precisa ser cadastrado para enviar o seu comentário. Se ainda não fez o seu cadastro, por favor, clique aqui. Um e-mail será enviado para a sua caixa postal, fornecendo sua senha.

Esqueceu sua senha?

Preencha o campo abaixo com o mesmo endereço de e-mail que você usou para fazer o seu cadastro e enviaremos uma nova senha para a sua caixa postal: