Leandro Karnal compartilha o que faria se fosse Corretor de Seguros

05/09/2019 / FONTE: CQCS

IMG_7002

Durante a edição do evento: Mercado de Seguros em debate, promovido pela SindSeg MG/GO/MT/DF que aconteceu no dia 29 de agosto, em Belo Horizonte, um dos participantes perguntou ao convidado especial, Leandro Karnal, o que faria caso  fosse Corretor de Seguros nos dias de hoje. 

As cerca de 200 pessoas acompanharam a resposta do historiador. Karnal afirmou que o filme “O Lobo de Wall Street” dá uma lição de vendas no começo, no meio e no fim. “É a técnica”, disse ele.

Em seguida, afirmou que o corretor de seguros deve ver o que todos fazem pensando “vou localizar um nicho que poucos atendam. O que todo mundo faz tem concorrência atroz”, aconselhou.

Leandro Karnal contou ainda a história de uma pessoa que trabalha com ele. “Ela é uma psicóloga em início de carreira e eu disse pra ela: sabe o que ninguém faz? Psicólogo atender à noite, sábado e domingo. Tem muita gente que trabalha e tem problema mental”, acentuou.

E acrescentou que muitas pessoas só teriam esses dias e ela poderia atender exatamente a esse nicho de mercado. “Depois faça uma análise econômica. Para onde está fluindo o dinheiro da sociedade?”, questionou.

E exemplificou: “Por que apartamentos de R$ 300 mil a R$ 1 milhão encalham? Por que apartamentos de R$ 7 milhões esgotam em 1 mês e apartamentos de R$ 150 mil esgotam em 1 mês”, provocou. E concluiu: “Aqui temos um nicho de mercado para trabalhar”, disse.

O historiador disse ainda que o corretor deve fazer bem o que todo mundo faz, mas é preciso ter um diferencial. “É preciso pensar em tudo, até aquilo que vocês podem não achar importante, mas quem não me conhece vai ter apenas uma impressão”, disse.

Ele ainda brincou com os corretores: “Ninguém vende seguro de croc. Você vai ter que pensar nisso, mas não pode estar tão arrumado que vai intimidar a pessoa. Eu tenho só 1 minuto para impressionar a pessoa. Depois disso perdeu a chance”, ensinou.

E encerrou o ensinamento dizendo um lema latino: “atrai-se mais moscas com mel do que com vinagre. Você por definição é alguém simpático, otimista e está genuinamente interessado no que eu tenho a dizer, mas ele é chato. Pergunta: é um chato com dinheiro ou sem dinheiro? Com dinheiro, ele tem uma virtude. Explore essa virtude”, finalizou.

Tags: ,

1. Você precisa ser cadastrado para enviar o seu comentário. Se ainda não fez o seu cadastro, por favor, clique aqui. Um e-mail será enviado para a sua caixa postal, fornecendo sua senha.

Esqueceu sua senha?

Preencha o campo abaixo com o mesmo endereço de e-mail que você usou para fazer o seu cadastro e enviaremos uma nova senha para a sua caixa postal:

nenhum comentário

    Zulmira Pinheiro

    Você precisa estar logado para ler o comentário.