Notícias | 28 de abril de 2004 | Fonte: CQCS

Fundos de pensão, previdência aberta e seguro têm 18,7% do PIB

Ganha força entre executivos do setor a tese de que o fortalecimento do mercado de seguros, principalmente do ponto de vista político, passa por uma aproximação maior com os fundos de pensão. Nesse sentido, uma das sugestões em debate é a revisão da fórmula hoje adotada para o cálculo da participação do mercado no Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro. Muitos executivos querem que esse cálculo inclua também os valores referentes ao segmento de previdência fechada.

De fato, se essa prática já estivesse vigorando, no final de 2003 teria sido de 18,7% a fatia referente às reservas técnicas acumuladas pelos setores de seguros, capitalização e previdência complementar (fechada e aberta) no PIB. Desse percentual, 14,3% correspondem às reservas constituídas pelos fundos de pensão, 2,3% à previdência aberta, 1,5% ao seguro e 0,5% à capitalização. Os dados constam em tabelas distintas do folheto lançado pelo Sindicato das Seguradoras do Rio de Janeiro, com base em informações da Susep, ANS, Abrapp e IBGE.

O mesmo levantamento indica que essa participação vem crescendo progressivamente desde o final da década passado. Em 1999, por exemplo, a soma das participações daqueles segmentos no PIB era de 14,2%. No ano seguinte, chegou a 14,5% e, em 2001, foi a 16%. Em 2002, essa fatia atingiu o patamar de 16,5%.

Para quem ainda acredita que os fundos de pensão não teriam interesse nessa aproximação com setores mais “fracos” economicamente, vale lembrar que esse segmento também passa por um momento de transição cujo resultado favorável dependerá da capacidade de seus líderes dialogarem mais constantemente com seguradores e resseguradores.

Um indício dessa realidade é o estudo que vem sendo realizado pela Secretaria de Previdência Complementar (SPC) para regulamentar o resseguro na previdência fechada. Executivos do setor querem contratar a cobertura diretamente nas resseguradoras, com o que não concordam os seguradores. A capacidade de se chegar a um bom termo nessa pendência será um passo decisivo para futuras ações conjuntas desses segmentos.

FAÇA UM COMENTÁRIO

Esta é uma área exclusiva para membros da comunidade

Faça login para interagir ou crie agora sua conta e faça parte.

FAÇA PARTE AGORA FAZER LOGIN