Em um ano desafiador como 2015, inovar é o nome do jogo

05/02/2015 / FONTE: Seguro Garantia .Net | Denise Bueno


andreLINHA FINA: Quem for criativo, vai ganhar dinheiro. Quem for zeloso, não vai perder. Quem ficar parado, pode morrer, afirma André Gregori, do BTG Pactual

Para um cenário desafiador, criatividade. Esse é o conselho do André Gregori, que comanda as operações de seguros e de resseguro do BTG Pactual e que chairman do Seres – Seguros e Resseguros Brasil Fórum 2015, que aconteceu entre os dias 29 e 30 de janeiro em São Paulo. Foram dois dias de intenso debate sobre as perspectivas de crescimento para o mercado segurador e resssegurador brasileiro, que contou com a participação de pesos pesados do setor.
“O evento foi uma excelente oportunidade para consolidarmos as expectativas de experientes players do setor e ajuda a todos a traçarmos uma tendência com tudo o que foi exposto”, comentou o executivo do banco que decidiu em 2013 a entrar no mercado de seguros e resseguros em entrevista ao portal CQCS.

Veja abaixo os principais trechos:

Seguro Garantia.Net – Como vê o atual cenário do Brasil e quais os desafios impostos ao mercado segurador?
André Gregori – Acredito que o cenário atual é bastante desafiador para todos os mercados e tecnicamente ainda não estamos em recessão. Alguns indicadores que afetam o mercado de seguros mostram recuperação nos últimos meses de 2014, apesar de o fechamento consolidado do ano ser negativo, com os dados de vendas do varejo e de automóveis. Olhando à frente, esperamos que o setor automobilístico continue em uma trajetória de recuperação temporária, estimulado por vendas antecipadas, em função de novo ciclo de alta do IPI. No entanto, o varejo de uma maneira geral continuará mostrando desempenho fraco. Isso porque o mercado de trabalho está desaquecendo, os índices de confiança do consumidor permanecem em níveis baixos (além de terem se deteriorado em novembro), a inflação de alimentos voltou a acelerar e a inflação geral deve aumentar de forma significativa no início do ano. No entanto, as seguradoras se prepararam para conviver com taxas de juros baixa em 2010 e agora são beneficiadas pela política de alta da Selic. Uma coisa tem compensado a outra. O mais importante é que o setor tem grande potencial para crescer e todos sabem disso e buscam aproveitar as oportunidades de negócios em nichos pouco explorados ou melhorar a penetração em carteiras consolidadas, como automóvel, buscando uma regulamentação mais moderna, como mostram as discussões sobre mudanças nos investimentos de planos de previdência privada e também do seguro popular de carro.

Seguro Garantia.Net – Diante dos debates, quais os desafios e oportunidades para o crescimento do mercado de seguros no
cenário de recessão que o Brasil enfrenta?
AG – A indústria de seguros é um segmento que não ganha muito mais dinheiro quando o mercado está bom, mas também não perde muito quando o mercado está ruim. Portanto, creio que esse ano ainda será de crescimento para seguros, mas ao mesmo tempo deveremos ter alguns eventos que demandarão pedidos de indenização, o que vai impor uma prática de preços mais técnicos do que comerciais, mudando a precificação dos seguros de grandes riscos.

Seguro Garantia.Net – E para o resseguro, a tendência é a mesma?
AG – Acredito que sim. Em resseguros, com quase seis anos de abertura, vejo um mercado começando a quere inovar para gerar demanda depois de um período de jogo de rouba monte.
Seguro Garantia.Net – Alguns resseguradores têm apostado na internacionalização. Acha que esse é um caminho natural diante das perspectivas de fraco crescimento no Brasil para 2015 e 2016?
AG – Com certeza. Nós, inclusive, já buscamos a internacionalização. Não apenas por ter no Brasil um mercado em ritmo mais lento, como para pulverizar a nossa carteira de clientes. Em julho de 2014 divulgamos a compra de 50% das ações da resseguradora Ariel Re, baseada em Londres e Bermuda, da Global Atlantic Financial Group Limited, especializada em resseguro de catástrofe. A aquisição veio em linha com a estratégia do banco de ter uma multiplataforma global nos segmentos de seguro e de resseguro. Há muitas empresas nacionais globais e queremos aproveitar esse potencial e apoiar as empresas brasileiras.
Seguro Garantia.Net – Em sua opinião, os movimentos de fusões e aquisições no exterior (Partner e Axis, XL e Catlin entre outros) trarão impactos para o negócio de resseguros no Brasil?
AG – Ainda não temos como avaliar, pois essas negociações foram anunciadas recentemente. Na minha opinião, a priori, tais movimentos são benéficos. Acho que quanto maior e mais sólido for o mercado ressegurador, mais conforto trará aos seguradores. Entretanto, vejo as resseguradoras aprimorando o olhar para novos mercados além do resseguro. Elas têm muito conhecimento e podem criar novos mercados diante de tantas oportunidade de riscos, investimentos e proteção que o mundo tem demandado.

Seguro Garantia.Net – Aposta em um movimento de fusões e aquisições no Brasil?
AG -No mercado ressegurador acho muito difícil. No mercado de seguros, pode ser que ocorra algum movimento, embora eu não veja muitas oportunidades atualmente. Mas, surgindo bons negócios, o BTG Pactual estará atento e analisaremos todas.
Seguro Garantia.Net – Depois de tantas apresentações relevantes no evento Seres, qual a conclusão das perspectivas para 2015?
AG – Quem for criativo, vai ganhar dinheiro. Quem for zeloso, não vai perder. Quem ficar parado, pode morrer.

Notícias relacionadas


1. Você precisa ser cadastrado para enviar o seu comentário. Se ainda não fez o seu cadastro, por favor, clique aqui. Um e-mail será enviado para a sua caixa postal, fornecendo sua senha.

Esqueceu sua senha?

Preencha o campo abaixo com o mesmo endereço de e-mail que você usou para fazer o seu cadastro e enviaremos uma nova senha para a sua caixa postal: