Casal simula acidentes e mortes para enganar 13 seguradoras e lucrar 2 milhões de euros

08/11/2018 / FONTE: Revista Cobertura

estelionato-golpe-bd

O casal recebia indenizações pelos ferimentos em mergulhos e o pagamento antecipado de hipotecas de créditos à habitação. O esquema rendeu-lhes mais de dois milhões de euros.

Um casal enganou 13 seguradoras ao participar de mortes ou incapacidades motoras em acidentes que, supostamente, correram mal. Ao simular os acidentes, o casal recebia indenizações pelos ferimentos e o pagamento antecipado de hipotecas de créditos à habitação, tendo recebido indevidamente mais de dois milhões de euros. A notícia é avançada pelo jornal Correio da Manhã, na edição desta terça-feira.

A história era sempre a mesma: um mergulho na praia corria mal e a vítima — que anteriormente havia contratado um seguro de vida ou de acidentes pessoais, com recurso e identidades falsas — morria ou ficava gravemente incapacitada. A mesma certidão de óbito e um documento médico para comprovar as incapacidades motoras chegaram a ser apresentados a várias seguradoras. As 13 seguradoras em questão pagavam logo as indenizações, sem antes avaliarem os acidentes com rigor.

A Polícia Judiciária de Lisboa terminou recentemente a investigação, remetendo a proposta de acusação contra os arguidos ao Ministério Público de Oeiras. Além do casal, a Judiciária dá conta de uma cúmplice, de 47 anos, e outros nove arguidos, que aderiram ao esquema do casal para pagarem empréstimos de casas.

Tags: ,

1. Você precisa ser cadastrado para enviar o seu comentário. Se ainda não fez o seu cadastro, por favor, clique aqui. Um e-mail será enviado para a sua caixa postal, fornecendo sua senha.

Esqueceu sua senha?

Preencha o campo abaixo com o mesmo endereço de e-mail que você usou para fazer o seu cadastro e enviaremos uma nova senha para a sua caixa postal: