Allianz analisa que Incêndios ainda são preocupação para empresas

29/10/2019 / FONTE: CQCS

Foto: Sergio Azenha/AP

Relatório semestral da Allianz Global Corporate & Specialty (AGCS) analisa tendências de exposição às quais todo tipo de companhia está suscetível. Recentes episódios como os incêndios na Catedral de Notre Dame em Paris e do Museu Nacional no Rio de Janeiro, são tristes exemplos de como o fogo ainda é o pior inimigo das empresas ao redor do planeta. As perdas globais sofridas em decorrência de incêndios somam mais de 15 bilhões de dólares nos últimos 5 anos.

Causa principal de perdas corporativas e um dos riscos que mais amedrontam as corporações, incêndios e explosões são responsáveis por mais da metade do montante de sinistros de Property nos últimos 5 anos e foram detalhados em uma recente publicação da Allianz Global Corporate & Specialty (AGCS) chamada Global Risk Dialogue.

Esses dados todos reforçam a importância da prevenção e da rápida resposta em casos de sinistros envolvendo fogo. “Existem três tipos de mitigação no que diz respeito a incêndios”, explica Stephen Clark, Gerente Técnico & Consultor de Risco Global – Property na AGCS. “Medidas preventivas, métodos de extinção do fogo e planos de contingência para assegurar uma rápida retomada das operações”.

O impacto de um incidente com fogo vai além da estrutura de uma empresa, podendo desencadear perdas consequentes como Interrupção nos Negócios (BI) e Interrupção Contingente de Negócios (CBI), aumentando consideravelmente o valor das perdas. Também existem exposições não cobertas no seguro tradicional como a “perda de mercado”, dependendo da atividade e atuação do segurado.

Felipe Orsi, Diretor de Property – AGCS América do Sul, lembra que quando um cliente tem um sinistro de incêndio, geralmente seu prejuízo é muito grande, e gera impacto também nas finanças das seguradoras e resseguradoras, já que as perdas envolvem também a interrupção de negócios (BI e CBI) além do dano material. Desse modo, temos o dever de trabalhar em parceria com o cliente, especialmente na prevenção e nas rápidas respostas aos acidentes e é por isso que a área de Gestão de Risco (ARC) na AGCS é fundamental. Através de análises de documentação, modelagens digitais e inspeções on site, nossos engenheiros avaliam detalhadamente as propriedades seguradas e propõe melhorias que visam eliminar ou minimizar a exposição ao risco”, detalha

São diversas as maneiras pelas quais as seguradoras e resseguradoras podem auxiliar as companhias na prevenção a incêndios, adequados estruturas e desenvolvendo melhorias em processos e sistemas. Uma das ferramentas que os técnicos de gestão de risco da AGCS utilizam é o check-list de 12 princípios, garantindo assim mais segurança nas operações dos clientes. Confira a lista abaixo:

12 Princípios de Gestão de Riscos da AGCS:

Inspeções mensais de prevenção de perda;

Implementação de plano de emergência;

Políticas de antifumo;

Procedimentos anti defeitos;

Permissão para trabalho a quente;

Gestão de prestadores de serviço;

Inspeção do corpo de bombeiros;

Teste e manutenção dos equipamentos contra incêndio;

Teste e inspeção da bomba de incêndio;

Plano de continuidade de negócios;

Segurança;

Novos projetos e construção.

Para mais informações acesse www.agcs.allianz.com

Foto: Sergio Azenha/AP

Tags:

1. Você precisa ser cadastrado para enviar o seu comentário. Se ainda não fez o seu cadastro, por favor, clique aqui. Um e-mail será enviado para a sua caixa postal, fornecendo sua senha.

Esqueceu sua senha?

Preencha o campo abaixo com o mesmo endereço de e-mail que você usou para fazer o seu cadastro e enviaremos uma nova senha para a sua caixa postal: