Seguro de Pessoas como Instrumento Financeiro

24/08/2018 / FONTE: Dilmo Bantim


Os seguros de Pessoas são compostos de diversos ramos, alguns deles mais conhecidos que outros, como por exemplo o seguro Prestamista, o Viagem, o de Vida e o de Acidentes Pessoais e, ainda, os do tipo VGBL ou os seguros Dotais.

Esses tipos de seguros, têm como foco de cobertura as situações que envolvem a morte, invalidez, perda de emprego ou de renda, despesas médicas, diárias hospitalares e doenças graves, não nos esquecendo de que, ainda, alguns deles são destinados à situações de pagamento por sobrevivência.

Todas estas situações, naturalmente, têm impacto nas vidas das pessoas e necessitam que haja um apoio para que possam ser contrabalanceadas.

É interessante observar que, em outros lugares do mundo, como nos EUA, os seguros de Pessoas e em especial no mais conhecido deles, como o seguro de Vida, as indenizações recebidas não integram o patrimônio das pessoas físicas, ou seja, não entram em inventário e sobre estas não incidem impostos. Então, seguros deste tipo podem ser bastante úteis para atender despesas emergentes relacionadas a procedimentos com heranças.

É importante ressaltar que os seguros destinados às situações relacionadas à morte e invalidez, essencialmente, tem valor de prêmio comparativamente baixo em relação ao seu custo x benefício, sendo conhecidos por serem baratos quando comparados a outros tipos de seguro. Em especial, as empresas são grandes contratantes desses tipos de seguros em nome de seus empregados, justamente em função dessa relação de grande benefício que, em especial, os seguros de Vida e de Acidentes Pessoais são capazes de propiciar.

De toda forma, todos esses seguros tem uma característica comum: a de buscar restaurar o equilíbrio econômico perturbado, causado pela ocorrência de um evento garantido pelas condições do seguro, ou seja, os seguros de Pessoas são efetivamente um importante, útil e eficiente instrumento de proteção financeira.

Muitas são as opções de seguros disponíveis e capazes de auxiliar as pessoas nos momentos de necessidade, contudo, é importante que a contratação desses seguros seja precedida de alguns cuidados.

Talvez, uma das primeiras coisas a ser observada seja a consciência efetiva da necessidade de proteção que cada um deva ter, seja em relação às próprias necessidades de segurança econômica como às daqueles que dependem de nós.

Desta forma, contratar um seguro adequado, mantê-lo ajustado e vigente é essencial, pois que os imperativos de proteção variam com o passar do tempo, mas de uma forma ou outra, perduram por toda a vida.

Tão importante quanto ter um seguro de Pessoas é compreender suas regras, desde o momento de sua contratação, eliminando todas as dúvidas a respeito de sua abrangência, seja pelos riscos cobertos como pelos excluídos, obtendo-se assim segurança e tranquilidade no contrato.

Por todos esses motivos, é essencial que se conheça as opções de produtos de seguros de Pessoas disponíveis no mercado, para o que é recomendável que se contate um especialista que é o Corretor de Seguros, profissional que dará ao proponente segurável as informações necessárias para contratar, manter e utilizar adequadamente as coberturas do seguro.

Contratos de seguro, apesar do que se eventualmente comenta, são instrumentos jurídicos simples e objetivos, nos quais uma leitura atenta normalmente traz as respostas para todas as perguntas de suas regras de funcionamento, sendo sua principal base a boa-fé, de parte a parte, permitindo assim o cumprimento de suas cláusulas e o atendimento das necessidades de todos os envolvidos

Boas escolhas são feitas pelo encontro da necessidade com o conhecimento e, no caso do seguro, esse interessante, antigo e confiável instrumento financeiro garante a oportunidade às pessoas e à sociedade para obterem proteção e estabilidade.

Dilmo Bantim Moreira

Presidente do Conselho Consultivo do CVG/SP, Diretor de Relacionamento com o segmento de Pessoas da ANSP, administrador pós-graduado em Gestão de Seguros e Previdência Privada, atuário, membro da Comissão Técnica de Produtos de Risco da FenaPrevi e de Seguro Habitacional da FenSeg, docente em Seguros de Pessoas, Previdência Complementar, Saúde, Capitalização, Atendimento ao Público e colunista em mídias de seguros.

Tags:

1. Você precisa ser cadastrado para enviar o seu comentário. Se ainda não fez o seu cadastro, por favor, clique aqui. Um e-mail será enviado para a sua caixa postal, fornecendo sua senha.

Esqueceu sua senha?

Preencha o campo abaixo com o mesmo endereço de e-mail que você usou para fazer o seu cadastro e enviaremos uma nova senha para a sua caixa postal: