Como a área de seguros de automóveis vem aprendendo com a área de saúde suplementar

02/09/2016 / FONTE: Sérgio Ricardo


seguro-auto-anfaveaAs áreas de Automóveis e Saúde Suplementar são as responsáveis pelo maior volume de prêmios no mercado, mas também pelos maiores e mais preocupantes índices de sinistralidade.

Na área de saúde suplementar há uma diferença fundamental entre o que é seguro saúde e as demais modalidades. O objetivo do seguro é ressarcir os segurados e, com isso, as seguradoras não podem construir hospitais e contratar médicos como ocorre com as cooperativas médicas e mesmo com as empresas de medicina de grupo, que são proprietárias de hospitais e possuem médicos e diversos outros profissionais de saúde contratados nas unidades em que fazem atendimento dos usuários.

Isso significa que o controle de custos pelas operadoras que não são seguradoras deveria ser muito mais efetivo, o que na prática, em muitos casos, acaba não acontecendo por conta da deficiência no aparelhamento de gestão.

Por não serem seguradoras essas operadoras não têm compromisso com o reembolso por livre escolha de médicos e de prestadores de serviço e podem com isso criar planos de saúde mais acessíveis em termos de preço, em que os usuários tenham limitação de utilizar apenas a rede referenciada, desde que ela atenda às exigências da ANS. Para os usuários que quiserem a opção de planos de saúde mais abrangentes, inclusive com a possibilidade de livre escolha por reembolso, eles estarão disponíveis, evidentemente, por preços maiores.

As seguradoras que operam com seguro automóvel finalmente descobriram a mesma coisa e agora estão começando a oferecer produtos com e sem acesso a livre escolha de oficinas. Para os clientes que querem pagar menos (cerca de 20%) já existem seguros em que os segurados estarão limitados à rede referenciada de oficinas credenciadas pelas seguradoras.

Vale ressaltar que da mesma forma que acontece com a saúde suplementar as seguradoras não podem ser proprietárias de oficinas, mas podem firmar acordos de custo de mão de obra e peças com as montadoras e oficinas. Mais que isso podem criar SLA´s (Service Level Agreements) para determinar os padrões de qualidade dos serviços prestados, dos prazos e vários outros fatores, com penalidades que vão de advertências até multas e rescisão dos contratos de serviço.

Tudo isso também abre uma séria concorrência entre as oficinas pelo mercado de reparação de automóveis sinistrados, que é absolutamente salutar para todos nós que também somos consumidores e queremos serviços com preços justos e qualidade. Antes de escrever este artigo telefonei para dois sócios majoritários de redes de oficinas que conheço há vários anos e eles me disseram que ainda não haviam sido contatados pelas seguradoras, mas estão prontos para sentarem à mesa e iniciarem uma negociação ampla.

Assim, poderemos vir a assistir uma alteração muito interessante na comercialização dos seguros de automóveis, mais a frente, quando os corretores de seguros tomarem consciência do que trazem essas alterações para o seu dia a dia. Não será novidade que os corretores venham a mostrar a seus segurados, além do comparativo de preço do seguro, comparativos com listas de oficinas credenciadas, como ocorre com a comercialização de planos de saúde, onde são apresentadas listas de hospitais, laboratórios e clínicas referenciadas.

Particularmente, gosto muito dessa novidade, porque começamos a sair da hegemonia do preço na comercialização de seguros automóveis, com a inserção de outros itens de análise, em que pese a necessidade dos corretores estarem cada vez mais “ligados” com as informações que devem passar a vir das seguradoras sobre as suas oficinas credenciadas e referenciadas.

Só uma forma de manter o mercado de seguros viável, que é investir em novas ideias, com redução inteligente de custos, combate ao desperdício e às fraudes e, investimento tecnológico constante para buscar a qualidade em todos os aspectos. Sobretudo perceber que há boas ideias que podem estar no aprendizado com experiências de outras áreas, boas ou ruins, mas que trazem um conhecimento adquirido.

Sergio Ricardo de Magalhães Souza

Executivo dos Mercado de Seguros com mais de 20 anos de experiência. Mestre em Sistemas de Gestão – UFF/MSG, MBA em Sistemas de Gestão – GQT – UFF. Engenheiro Mecânico – UGF. Membro da ANSP – Academia Nacional de Seguros e Previdência e Diretor do CVG – Clube Vida em Grupo RJ. Fundador do Grupo Seguros – Linkedin. Associado da ABGP, PMI, PRMIA, IARCP. Colunista da Revista Venda Mais e do Portal CQCS. Foi Coordenador de Pós-Graduação e Professor dos programas de Pós-Graduação do IBMEC, UFF, ESNS, FGV, FUNCEFET, IPETEC UCP, UVA, CEPERJ, ECEMAR, ESTÁCIO DE SÁ, TREVISAN, IBP, CBV. Sócio-Diretor da Gravitas AP – Consultoria e Treinamento, especializada gerenciamento de riscos, seguros e resseguro. e-mail: sricardo@gravitas-ap.com

Notícias relacionadas


1. Você precisa ser cadastrado para enviar o seu comentário. Se ainda não fez o seu cadastro, por favor, clique aqui. Um e-mail será enviado para a sua caixa postal, fornecendo sua senha.

Esqueceu sua senha?

Preencha o campo abaixo com o mesmo endereço de e-mail que você usou para fazer o seu cadastro e enviaremos uma nova senha para a sua caixa postal: